Gospel Reflections

festa dos santos Pedro e Paulo

João 21:15-19

Feast Day Reflection by Sister Katy Webster

Published: June 29, 2014

Read João 21:15-19

Jesus se revelou aos seus discípulos e, quando eles tomaram café da manhã terminou, disse a Simão Pedro: "Simão, filho de João, tu me amas... Read More…


O Evangelho abre com os discípulos, e provavelmente as discípulas, nas margens do mar. Pedro diz: “Vou pescar.” Pode-se até imaginar que ele está pensando ou sentindo: “É isso que sei fazer.” Depois dos anos turbulentas, conflituosos, animados, esperançosos, vitais andando com Jesus, depois do desespero do assassinato, e em seguida a confusão de umas aparências de Jesus depois de morto, os discípulos estão sozinhos na praia novamente desanimados, sem rumo, então voltam para aquilo que é conhecido, confortável: “‘Bora Vamos pescar.”

Aí pescam a noite inteira sem pegar nada de peixe. Vem o encontro com Jesus e a rede enche de peixe, mas tem pão e peixe assado já esperando na praia. Mesmo assim, Jesus pede mais uns peixes que pegaram. “Quem és tu?”, mas já sabem. Novamente eles partilham o pão e peixe. Deve ser que os discípulos e as discípulas estavam acordando, e já pensando: “Aqui vem coisa.”

Jesus se dirige a Pedro e procura três vezes: “Você me ama?” Pedro responde, “sim,” chegando a ficar sentido que tem que ser três vezes que Jesus procura. Aqui chega ao nó da história: amar a Jesus é de assumir um caminho sobre o qual a gente não tem controle e leva á perseguição. Vai com vontade (estende as mãos para ser amarradas) mas não dirige o resultado (vai onde não quer ir). Não quer ir mas querendo ao mesmo tempo porque ama e por amor segue, e este seguimento tem conseqüências. O discípulo responde gratuitamente, livremente ao chamado, sem medir as conseqüências. E nós respondemos juntas.

O conjunto das três leituras fala do conteúdo deste seguimento: proclamar o nome de Jesus, a Boa Nova que ele não somente falou, mas viveu, apascentar e cuidar do seus rebanhos. O que é isso? Amar, se colocar do lado dos empobrecidos e das empobrecidas, como Jesus fez. Isso é viver de tal modo que enfrentamos as estruturas de ganância pelo ter e poder, nutrir a liberdade e assim a felicidade de todo mundo. Lutar pela justiça, partilhar, defender a natureza, sabendo que tem forças de ganância que vão reagir toda vez, que vão perseguir.

Nas ações e no diálogo no evangelho, os discípulos e as discípulas assume a nova conjuntura, Jesus está presente numa maneira diferente, são eles que têm que assumir o seguimento. Nestes eventos na beira do mar, no encontro com Jesus, os discípulos e as discípulas mais uma vez se compromete, que em fim a leitura de Apocalipse celebra.

« View all Gospel Reflections